12.01.2020 | 09h:01
Tamanho do texto A - A+

Com 'benção' de Botelho, Russi articula candidatura ao Senado

O deputado estadual Maxi Russi (PSB) declarou que sua candidatura acontecerá com o apoio popular e dos colegas.

DA REDAÇÃO

MAJU SOUZA

Com a benção do presidente a Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), o primeiro-secretário da Casa, deputado Max Russi tenta viabilizar o consenso dos colegas e lançar candidatura ao Senado.

A eleição suplementar ocorrerá em Mato Grosso, ainda no primeiro semestre, devido à cassação do mandato de Selma Arruda (Podemos).

O presidente da Assembleia defende que o Legislativo indique um dos 24 deputados para disputar a eleição suplementar. Em declaração à imprensa, Botelho se isentou da disputa e deu aval para o nome do deputado estadual Maxi Russi (PSB). 

“Avalio com bom nome, com experiência. Foi vereador, prefeito, secretário do Estado, é um deputado atuante. É um nome com viabilidade”, afirmou o presidente. 

“Que saia um consenso daqui [Assembleia] sobre o nome dele”, continuou. 

Sobre as falas do presidente, Russi se declarou surpreso.

“Fico feliz com o meu nome lembrado.Dando uma entrevista  [Botelho] desse tipo me anima a continuar as conversar, ampliar as discussões, ter uma conversa com a base e ver se é o momento” explicou. 

Russi ainda apontou que sua candidatura tem que ter o aval popular. 

“Precisa ver se realmente é o perfil que população espera, se é o desejo. Se encontra respaldo, apoio”, ressaltou. 

Apesar da benção de Botelho, o deputado ainda tem que pleitear o apoio dos colegas, visto que, nomes como Elizeu Nascimento 

(DC) e Silvio Fávero (PSB) externaram sua vontade de concorrer à cadeira do Senado.

Os deputados vêm discutindo essa possibilidade desde de abril, quando o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) cassou o mandato de Selma. Os parlamentares defendem um nome que tenha pelo menos o apoio de 18 deles.

Além de Max Russi, que é do PSB, partidos da esquerda tambmém devem lançar Gisela Simona (PROS) e Procurador Mauro (PSOL).