05.11.2019 | 13h:33
Tamanho do texto A - A+

Adevair se diz vítima de perseguição política por ser lançado como vice de Emanuel

DA REDAÇÃO

MÁRCIA MATOS

O vereador de Cuiabá, Adevair Cabral alega ser vítima de perseguição política, por recentemente ter o nome cotado como vice na possível chapa de reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Na última semana, Adevair foi acusado de assédio sexual contra uma ex-servidora da Saúde de Cuiabá e por isso afirma que vai representar criminalmente contra o colega vereador Abílio Júnior (PSC), o qual acusa de calúnia e difamação. Ele ainda teve o nome envolvido em uma denúncia de corrupção de menores, em um clube de Várzea Grande, o qual ele foi presidente e que afirma que não tem qualquer ligação com a unidade desde 2016, quando renunciou ao mandato.

Em entrevista ao RepórterMT, ele mostrou documentos registrados em cartório e garantiu que não há qualquer investigação contra ele, movida no Ministério Público, por isso aponta se considera vítima de perseguição política.

“Os partidos vieram conversar para que fosse filiar em março, para que eu pudesse ser vice. Eu nunca pedi ser vice de ninguém e aí começaram os ataques”, argumentou.

Questionado se irá continuar a tratar a possível candidatura a vice-prefeito, o vereador comenta que o nome lançado no início é só para “ser queimado”.

Na entrevista o vereador ainda reclama sobre o comportamento de colegas de oposição na Câmara, que segundo ele, ao invés de fazer oposição ao prefeito, fazem aos colegas.

Veja a entrevista: