Exibido em: 22.02.2020
REFORMA TRIBUTÁRIA

Geller: Comissão pode gerar ou impedir desastre econômico de MT

Grupo de senadores e deputados têm 45 dias para elaborar pontos da Reforma Tributária. Parlamentares de MT querem impedir a taxação da exportação de produtos primários do agronegócio.

Reprodução

DA REDAÇÃO

Membro do colegiado que conta com 25 deputados e 25 senadores para produzir um texto de unidade nas duas casas sobre a Reforma Tributária, o deputado federal Neri Geller (PP), destacou em entrevista ao Conexão Poder, que a preocupação dele, e do senador Wellington Fagundes (PL), que também é representante de Mato Grosso no grupo, é impedir a taxação dos produtos primários produzidos no Estado como soja, algodão e milho.

“A taxação disso seria para nós um desastre para competir em mercado internacional”, avaliou.

Geller comenta que a articulação é para que o relatório produzido por este grupo contenha a desoneração das exportações e a criação de mecanismos para fazer a compensação econômica para Mato Grosso.

“Vai ter que ter uma forma da gente recompor esse dinheiro que a gente deixa de arrecadar, ou ao menos em parte, porque as exportações daqui são benéficas  para o Brasil inteiro, no mercado de indústrias, equipamentos, gera serviços lá fora e superávit balança comercial. Então todo país ganha em arrecadação e não vem aqui para nós no Estado”, ressaltou.

Entre os mecanismos de compensação, o deputado pontua que está a regularização do pagamento do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX), determinando a obrigatoriedade do repasse pelo Governo Federal ao Governo de Mato Grosso.

Ponto positivo nessa articulação, segundo Geller, é ter o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), como relator. O representante de Mato Grosso pontua que tem boa relação de parceria com o colega parlamentar.

Os parlamentares terão o prazo de 45 dias para consolidar as propostas que tramitam no Congresso.