Exibido em: 10.09.2019
VEJA O VÍDEO

Faleiros: Grampolândia é violação sem precedentes e afronta tratados internacionais

Conexão Poder

DA REDAÇÃO

O juiz Marcos Faleiros, titular da 11ª Vara Militar de Cuiabá classificou como violação sem precedentes, o esquema de escutas telefônicas clandestinas que ficou conhecido em Mato Grosso como Grampolândia Pantaneira.

O magistrado que atua no julgamento dos militares envolvidos no caso, declara, em entrevista ao Conexão Poder, que esse tipo de crime “afronta o estado de direito” e viola tratados internacionais ao invadir a intimidade das vítimas, que foram ilegalmente grampeadas.

Faleiros reclama que as autoridades têm que prestar contas à sociedade.

“A Carta Magna não pode ser rasgada dessa forma e há necessidade de que todas as instituições estatais suspeitas de serem usadas para a transgressão, que prestem satisfação à sociedade”, ressaltou.

O juiz afirma que não há dúvidas sobre a comprovação do crime. Agora a Justiça analisa a autoria.

Dentre os entes que têm que prestar satisfação, ele destaca o Ministério Público, com membros acusados de participação no caso e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pelo fato do advogado Paulo Taques ser apontado como mandante dos grampos.

Veja a entrevista: