Exibido em: 13.08.2019
REAJUSTE DE 7,69% E RGA

Botelho diz que lei de Silval foi armadilha: "Sabiam que iria atrasar salários"

O deputado Eduardo Botelho (DEM), presidente da Assembleia Legislativa, chamou de armadilha a Lei 510/2013, criada na gestão do ex-governador Silval Barbosa, que prevê a recomposição de ganho real de salário aos professores do Governo do Estado.

Segundo ele, a medida foi criada sem estudo de impacto financeiro, o que considerou como irresponsabilidade tanto da gestão Silval Barbosa, como dos deputados que aprovaram a medida.

“A irresponsabilidade não foi só do Governo, foi da Assembleia também, mas quem vai votar contra, se o dono do caixa está dizendo que quer aquele negócio?”

A cobrança pelo pagamento do reajuste de 7,69% gerou greve no Governo de Pedro Taques (PSDB), que aceitou parcelar o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) e o reajuste, o que levou o Estado a extrapolar o limite de gastos com pessoal e atrasar salários. A agora o Governo de Mauro Mendes (DEM) parcela os pagamentos e enfrentou 75 dias de paralisação, sem conceder os reajustes por impedimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. Situação, que segundo Botelho, já era prevista pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva.

“Você acha que Silval não sabia que não tinha (como pagar)? Você acha que Riva não sabia? Riva falou para mim, na minha casa, antes de eu assumir em 2015. Ele disse: Pedro Taques não vai pagar o salário daqui uns dias e perguntei como que você sabe. Tudo que nós fizemos aí ele não vai pagar. Então eles sabiam sim. Foi feito sabendo que não tinham condições. Foi feita uma armadilha!”, disparou.

Confira o trexo do vídeo